Home

Que genealogista nunca encontrou um obstáculo aparentemente intransponível na pesquisa de uma linha de sua família, um mistério que a pesquisa documental continua a deixar insolúvel? A mesma curiosidade que leva o genealogista a se debruçar sobre montanha após montanha de documentos antigos para organizar o quebra-cabeças de sua história familiar, essa curiosidade existencial também o leva a buscar novas formas de conquistar as maiores barreiras a sua pesquisa. Assim nasceu a Genealogia Genética, com o intuito de solucionar as mais complexas questões familiares utilizando-se da maior e mais duradoura das enciclopédias: o DNA.

A Genealogia Genética consiste da aplicação de conceitos e métodos da biologia e genética à pesquisa histórico-documental praticada pela genealogia tradicional, complementando dados ou cobrindo lacunas documentais que, de outra forma, permaneceriam em aberto. O conceito básico pode ser explicado da seguinte maneira: dois indivíduos que possuem um ancestral em comum compartilharão passagens de DNA idênticas, que herdaram desse ancestral . É à descoberta dessas passagens comuns de DNA que se dedicam as empresas que realizam os testes de genealogia genética, adotando padrões uniformes de forma que os resultados possam ser comparados entre si, em várias plataformas. Com seus exames em mãos, genealogistas então optam por se utilizar da internet para conectar suas enciclopédias particulares de DNA, criando uma imensa base de dados onde é evidente o entrelaçamento originado pelos ancestrais comuns dos indivíduos testados. Uma coisa é certa: documentos podem faltar, por serem perdidos ou destruídos; entretanto, a passagem de um indivíduo pela terra sempre será marcada pelo rastro de DNA deixado em seus descendentes – essa marca genética nunca será apagada.

Os exames de DNA disponíveis para a aplicação em Genealogia Genética são:

  • Testes de Cromossomo Y, para a investigação da linhagem paterna: após a coleta de DNA por meio de um simples esfregaço da mucosa bucal, analisa-se o mesmo de forma a se colher dados sobre o cromossomo Y, que é passado de um ancestral do sexo masculino a seus descendentes por varonia, ou seja, de pai para filho. O exame revela tanto a ascendência paterna remota de um indivíduo, com o percurso de seus ancestrais desde o engatinhar da humanidade, até sua genealogia mais recente – ao apontar familiares que compartilham a mesma varonia. Testes disponíveis somente a indivíduos do sexo masculino.
  • Testes de DNA Mitocondrial, para a investigação da linhagem materna: da mesma forma como o cromossomo Y pode ser utilizado para a investigação da varonia em indivíduos do sexo masculino, o DNA mitocondrial permite o estudo da linhagem materna. Ao se analisar o DNA mitocondrial, pode-se obter informações sobre as origens remotas de uma linha feminina e também encontrar pistas sobre sua ascendência recente. Testes disponíveis a indivíduos do sexo masculino e feminino.
  • Testes de DNA Autossômico, para a investigação genealógica recente em todas as linhas: diferentemente do cromossomo Y ou do DNA mitocondrial, o exame de DNA autossômico permite a coleta de informações a respeito de todos os ramos ancestrais de um indivíduo no período moderno. É possível a pesquisa de aproximadamente 6 gerações, pois são apontados familiares que possuem ancestrais em comum e que já podem ter desenvolvido pesquisa documental sobre esses ascendentes. Também é informada a composição genética de um dado indivíduo – se 50% de seu DNA veio da África, ou se 24% de seu DNA veio do Sul da Europa, por exemplo. Testes disponíveis a indivíduos do sexo masculino e feminino.

Ou obtenha maiores informações no Guia Prático de Genealogia Genética.